O Homem da 25 de Março (Ação e Formação)

By André Gibran

jan 07

Meu pai foi taxista por muitos anos em São Paulo. Como todo taxista, ele tinha muitas histórias de passageiros pra contar.

Uma dessas histórias ficou na minha mente, e depois de mais de 25 anos, ainda lembro dela como um exemplo de atitude a ser seguida.

Meu pai pegou um passageiro pra levar pra Rua 25 de março em São Paulo. Era um homem de meia idade, conversador.

Ele então contou a história dele.

Tinha vindo da Bahia pra trabalhar em São Paulo. Ficou sabendo que tinha muito comércio na região da 25 de março e achou emprego lá como atendente de loja.

Aos poucos foi percebendo oportunidades e comprou seu primeiro espaço. Pequeno e simples. 

Era uma pessoa econômica, foi guardando dinheiro e comprou uma loja maior.

Quando contou isso pro meu pai, já tinha 3 lojas funcionando e estava muito bem financeiramente.

O que me chama mais atenção nessa história é que ele disse ao meu pai que só tinha estudado até a quarta série (ensino fundamental).

O sucesso depende muito mais da ação do que da formação 

Na escola se aprende o caminho do sucesso: escola, boas notas, vestibular, boa faculdade, boas notas, bom estágio, formatura, bom emprego.

Essa estrutura funciona, principalmente se você quer seguir alguma carreira que dependa de formação acadêmica. 

Se quer ser médico, tem que fazer faculdade. Quer ser advogado? Faculdade. Dentista? Faculdade.

Mas o que dizer de outras áreas de atuação?

O homem lá da 25 de março resolveu empreender. Se ele tivesse o pensamento convencional, poderia acreditar que não adiantaria se esforçar. O correto seria voltar a estudar pra se formar e fazer uma faculdade.

Como ele queria ter uma rede de lojas, o correto seria cursar administração de empresas. Aí sim, depois, comprar ou montar uma loja.

Ainda bem que ele não foi por esse caminho.

Hoje, já com 03 lojas, ele contrata gerentes que se formaram em administração. 

Ele, sem faculdade, dá ordens a quem se formou.

Eu também sou formado. Fiz Educação Fisica. Adorei a faculdade, e depois cheguei a trabalhar na área como personal trainer e também como professor de academia. Foi bom.

Mas se eu pudesse voltar no tempo, teria agido mais em vez de me preocupar em seguir o pensamento convencional.

Hoje eu ajudo pessoas a se tornarem pessoas de ação. É o que eu amo fazer. E não há faculdade que me ensine a fazer isso. Não há nenhum curso que substitua tudo o que já li, assisti e estudei sobre o assunto.

Nada pode substituir toda a experiência obtida ao longo dos anos treinando pessoas.

E você? Será que não está complicando demais as coisas? Será que não está achando que todo o segredo está na formação e acabou se esquecendo da ação?

Se você está numa área que exige formação acadêmica, ótimo. Só não se esqueça que o que a faculdade te traz não faz de você um profissional top e bem remunerado. Isso aí é contigo, e depende de você se transformar numa pessoa de ação.

Follow

About the Author

Em 2013 eu larguei meu cargo público no Tribunal de Justiça de SP pra viver de marketing digital (uma baita galera me criticou por isso...). Essa acabou sendo a melhor decisão de minha vida! Desde então já ajudei milhares de pessoas a usarem o poder do Copywriting pra construir vida nova fazendo algo que amam!

>